Morrem sete membros dos serviços secretos espanhóis no Iraque

29 de Novembro de 2003


Sete agentes dos serviços secretos espanhóis do CNI, parte do contingente ocupante no Iraque, morrêrom a sul de Bagdad no sábado 29 de Novembro no Iraque (às 13.45 horas na Galiza) durante de umha audaz emboscada da resistência iraquiana contra vários veículos espanhóis. O ataque foi feito com lança-granadas e subfusis kalashnikov e os veículos fôrom destruídos, ficando mais um agente espanhol gravemente ferido. Alguns iraquianos espezinhárom os corpos dos militares espanhóis e figérom o signo da vitória enquanto davam gritos a favor de Sadam segundo pudo ver-se na televisom.

À morte dos sete agentes do CNI soma-se a do outro membro da Inteligência espanhola, J. A. Bernal Gómez, no passado 9 de outubro. O espia espanhol, viceadido de informaçom da Embaixada espanhola no Iraque, foi executado às portas da sua casa em Bagdad.

Mais um espanhol, o capitám de navio Manuel Martín-Oar, morria devido aos ferimentos sofridos na acçom da resistência patriótica iraquiana contra a sede da ONU na capital do Iraque, no mês de Agosto. Lembremos que o Estado espanhol, firme aliado da estratégia imperialista e genocida ianque, conta com 1.300 efectivos militares a ocupar o território iraquiano.

O mês de Novembro é o mais mortífero para as forças de ocupaçom no Iraque desde que começou a invasom no passado mês de Março. Um total de 79 soldados ianques morrêrom. A esta cifra há que acrescentar, aliás, os 19 carabinieri mortos na acçom em Nasirija.


O imperialismo espanhol, tocado (+...)

Voltar à página principal


Um grupo de iraquian@s pontapeárom os corpos dos militares espanhóis