Violenta repressom policial durante cerimónia do alargamento da UE

Milhares de trabalhadores/as e jovens defenderom-se dos ataques policiais que impediam o direito à livre manifestaçom contra o acordo de alargamento da UE realizado na capital grega. Mediante o lançamento de pedras e cócteis molotov, as ruas de Atenas assistírom a violentos confrontos a passada quarta-feira 16 de Abril coa polícia grega. Nestes sucessos fôrom incendiados bancos e destruidas as fachadas de comércios de luxo.

A polícia atacou com gases lacrimógenos aos milhares de pessoas que pretendiam manifestar-se frente a embaixada estadounidense e chegar até o palácio onde se celebrava a cimeira.

A polícia perseguiu a "porrazos" @s manifestantes encarapuchados polas ruas de Atenas. Mais de 30 pessoas fôrom detidas e polo menos um polícía resultou ferido quando umha "bomba de gasolina" incendiou a sua roupa, segundo informaçom das autoridades e testemunhos. Outro home foi hospitalizado com um fragmento de vidro no olho.

Em quanto os helicópteros sobrevoavam a cidade, mais de 10.000 polícias tinham ocupado o centro antigo de Atenas onde era assinado o acordo.
A repressom comezou depois de que a cabeça da manifestaçom pretendera chegar até o Palácio do Zappeion, e a polícia antimotins, aproximadamente a 300 metros de distáncia de onde estavam reunidos líderes e altos funcionários da UE, pretendeu impedí-lo utilizando o máximo de violência.

@s manifestantes incendiárom bancos no centro de Atenas e partírom os vidros de tendas e automóveis. Grupos de jovens arrancarom pedras do pavimento frente à embaixada británica para lançá-las contra a polícia que desde o prédio disparava com gases lacrimógenos.

Umha enorme faixa coa legenda "Assassinos, imperialistas" foi colocada sobre a fachada das instalaçons de British Airways.



Voltar à página principal