O Estado espanhol proíbe à esquerda independentista basca apresentar-se às eleiçons
4 de Maio de 2004

O Supremo Tribunal espanhol aceitou as impugnaçons da Fiscalia e da advocacia do Estado e confirmou a proibiçom de que o independentismo basco poda participar nas eleiçons municipais de 25 de Maio. Ao todo, som 241 as candidaturas abertzales eliminadas, incluídas listas de AuB e plataformas cidadás independentistas.

O ministro espanhol de Justiça, e adepto da seita Opus Dei, José María Michavila mostrou imediatamente a sua "profunda satisfaçom", afirmando que assim "se evitará que a ETA introduza os seus comandos nas instituiçons democráticas" (SIC).

Também o PSOE se mostrou satisfeito pola eliminaçom da segunda força política basca nas anteriores eleiçons municipais do panorama eleitoral, o que facilitará a sobre-representaçom dos partidos espanhóis PP e PSOE no País Basco.

Por seu turno, o porta-voz da plataforma abertzale proibida, AuB, José Ramón Etxebarria, denunciou o "pucherazo" que se prepara para o 25 de Maio, apesar do qual insistiu em que a esquerda independentista estará presente nas eleiçons. Etxebarria afirmou que "se consumou um escándalo na Judicatura", e que o "pucherazo" será "um cozido madrileno que eles guisárom e eles vam papar". "Todas as pautas reconhecidas em todos os países democráticos da Europa sobre o que é um processo judicial fôrom rotas", num processo que, dixo, "nos deixa sem nengumha garantia e na indefensom total".

AuB está convencida de que o Supremo Tribunal espanhol se pujo ao ditado do Governo, e afirmou a sua vontade de que os cidadaos e cidadás bascas que vam votar por ela o fagam igualmente e que esses votos sejam contabilizados, para o qual apelou aos "partidos democráticos de Euskal Herria" no intuito de garantirem a contagem dos votos independentistas.

A esquerda independentista basca apelará também a instancias europeias em Estrasburgo ante o que qualificou como um "escándalo de dimensons inauditas".

Enquanto se proíbe a concorrência da segunda força política basca às eleiçons de 25 de Maio, lembremos que PP e PSOE elaborárom candidaturas fantasmas preenchidas com espanhóis e espanholas que nunca pugérom um pé no País Basco e alhei@s por completo à sua realidade.



Voltar à página principal