A DEZ MESES DE CONCLUIR A LEGISLATURA, BNG E PSOE DIM QUE CRIARÁM ALTERNATIVAS A SOGAMA

23 de Agosto de 2002

Tivérom quatro anos para pôr em prática umha alternativa nacional à incineraçom de lixo imposta por SOGAMA. Governárom seis das sete principais cidades galegas e, nalgum caso, comarcas de centos de milhares de habitantes tivérom governos BNG-PSOE. No entanto, a integraçom em SOGAMA (plano de resíduos urbanos imposto polo PP) foi a norma. No caso do BNG, deu-se um incumprimento flagrante do seu compromisso eleitoral.

As organizaçons ecologistas tinham advertido dos efeitos negativos de SOGAMA no plano ambiental e também no económico. Apesar de todo, os governos de coligaçom integrárom-se maioritariamente em SOGAMA, e esquecêrom-se do tema.

Só quando restam dez meses para as eleiçons municipais, e se comprova como SOGAMA encarece os seus serviços aos concelhos, BNG e PSOE tiram da manga umha nova promessa para um futuro indeterminado. Dirigentes do BNG e do PSOE, como Anxo Quintana e López Orozco, botam as maos à cabeça ante o encarecimento das tarifas municipais exigidas por SOGAMA, algo perfeitamente privisível na lógica da aposta incineradora.

Antecipando-se ao descontentamento popular, BNG e PSOE fam gala de um oportunismo evidente ao reunirem-se com ADEGA e prometerem impulsionar planos alternativos a SOGAMA. Meses atrás, as entidades galegas integradas na FEG (Federaçom Ecologista Galega) tinham feito pública a sua decepçom ante a falta de diferenças entre PP, BNG e PSOE no que a tratamento do lixo di respeito. (Lê aqui o comunicado da FEG feito público em Maio de 2002)

O Concelho da Corunha foi a estranha excepçom, com um plano alternativo já em andamento, baseado na reciclagem e a compostagem, pondo em evidência que um tratamento do lixo ambiental e economicamente sustentável é possível.

A proximidade das eleiçons fai agora com que os ditos "progressistas" se riam dos seus e as suas votantes, prometendo o que nom figérom nos últimos três anos de governo partilhado e teoricamente "alternativo" ao PP. Saliente-se ainda como som estritamente motivos económicos e o custo eleitoral das novas tarifas o único que provoca a reacçom. Onde ficam os custos ambientais da loucura da incineraçom?

Olha aqui o comunicado publicado por NÓS-UP em Trasancos sobre o significado de SOGAMA e a posiçom dos governos BNG-PSOE

Voltar à página principal