Cuba fechará o "Centro Cultural de Espanha" para transformá-lo no "Centro de Cultura Federico García Lorca"
13 de Junho de 2003

O Governo cubano notificou ao Governo espanhol que concluiu a gestom espanhola do "Centro Cultural de Espanha" em Havana. Fica anulado o acordo assinado por ambos governos em 1995, e o centro, inaugurado em 1997, deixará de servir de sede contra-revolucionária em plena capital cubana. Em palavras do próprio Fidel, o Centro Cultural de Espanha "foi utilizado para todo menos para a cultura espanhola".

O prédio, que é propriedade do Governo cubano, fica no Malecom havaneiro, e tem 2.000 metros quadrados. O Governo revolucionário anunciou a sua vontade de transformá-lo num verdadeiro centro cultural, que levará provavelmente o nome de Federico García Lorca, o escritor comunista espanhol assassinado sem julgamento prévio e desaparecido polos pais políticos de Aznar e companhia.

Desse jeito, a sala de actos, a biblioteca, hemeroteca, fonoteca e outros meios disponíveis serám postos ao serviço da revoluçom socialista cubana, ficando desarticulado o foco contra-revolucionário fomentado pola direita espanhola na ilha.






Voltar à página principal