Os hospitais iraquianos enchem-se a um ritmo de cem pacientes por hora
8 de Abril de 2003

Enquanto organismos da ONU alertam para a crise sanitária que ameaça os 5 milhons de habitantes de Bagdá, o correspondente da Al Jazira Diyar Omari relata ter visto "incontáveis" casos de pessoas feridas, nos principais hospitais da capital iraquiana.

Em visitas aos hospitais Al Yarmouk e Al Kindi, Omari di ter testemunhado "incontáveis casos de pessoas feridas, cujo número crescia a cada minuto". Os hospitais de Bagdad registam um fluxo de centenas de pacientes. A equipa da Cruz Vermelha na capital registou, durante os piores bombardeios, o ingresso de mais de cem casos por hora.

"Novos tipos de bombas" e matança de civis

"Os médicos destes hospitais confirmam que estám diante de um grande desafio", devido aos efeitos de 12 anos de sançons sobre o sistema hospitalar do país, relata o jornalista.
Segundo ele, os médicos confirmárom que os pacientes "estám sofrendo ferimentos estranhos, desconhecidos, que parecem confirmar que as tropas da coalisom estám usando novos tipos de bombas".

Com o tiroteio que estourou na tarde de domingo, na área do hotel al-Rashid, os hospitais de Bagdá passárom a receber um fluxo contínuo de vítimas. O pessoal hospitalar advertia que os seus minguados recursos estavam no limite.

"Nós esperamos umha grave deterioraçom da situaçom de saúde durante os próximos dias, devido aos bombardeios diários que ocasionam danos à infraestrutura, e umha brusca elevaçom das mortes de civis", dixo aos jornalistas Fadela Chaib, porta-voz da OMS (Organizaçom Mundial de Saúde). Funcionários da OMS advertem que o acesso ao atendimento médico e os suprimentos de remédios estám tornando-se mais difíceis e os estoques nom conseguem ser repostos.

"É sem dúvida umha situaçom de emergência", dixo Antonella Notari, a principal porta-voz da equipa da Cruz Vermelha Internacional. A Cruz Vermelha foi umha das poucas organizaçons internacionais que nom retirou seu pessoal do Iraque depois que os EUA iniciárom a guerra.

Muitos civis estám sendo atingidos, apesar da proclamaçom de Washington de que esta iria ser umha guerra "limpa". Durante o feroz combate casa por casa na cidade sagrada xiita de Kerbala, durante o fim de semana, ocorrêrom vários casos de civis colhidos polo fogo cruzado.



Voltar à página principal