A administraçom ianque estuda umha possível campanha para derrocar o regime iraniano
5 de Junho de 2003

A "mudança de regime" no Irám poderia ser o próximo objectivo para o afiançamento das posiçons imperialistas ianques no Oriente Médio. Diversos meios, como o The Washington Post e o The New York Times, falam da existência de reunions nos órgaos de poder dos EUA para estudar o melhor jeito de derrubar o regime de Teerám, para o qual começam já a envolvê-lo nos últimos ataques islamistas acontecidos em diversos pontos do globo, como antes figeram com o regime talibám afegao e com o iraquiano de Saddam Hussein.

A ruptura de conversaçons existentes nos últimos meses com o Irám já aconteceu, bem como umha escalada verbal e diversos esforços desestabilizadores por parte ianque. Entre os falcons da Administraçom Bush mais empenhados na linha dura contra Teerám salientam o secretário adjunto da Defesa, Paul Wolfowitz, e o subsecretário Douglas Feith.

O imperialismo USA tem apoiado e apoia um núcleo armado opositor iraniano, os Mujahedins-Khalq, que opera a partir do Iraque e que poderia servir de peom no derrocamento do regime islamista. Ao mesmo tempo, os sectores ligados ao sistema do ex-xá do Irám, Reza Pahlevi, derrocado pola revoluçom islámica em 79, e que estám espalhados em diversos países, estariam também a coordenar a estratégia de agressom contra o Irám. Para além do mais, nom devem esquecer-se as ligaçons entre o antigo xá e a extrema direita sionista, aliada por sua vez dos ultras que governam os EUA.

A maquinaria de propaganda ianque já está a divulgar as ligaçons entre Teerám e Al Qaeda, bem como a existência no Irám de um "programa nuclear avançado", argumentos semelhantes aos que arroupárom os ataques contra o Afeganistám e o Iraque. O próprio Israel anima à intervençom contra o Irám como forma de terminar com o suposto apoio iraniano à guerrilha de Hezbollah (Partido de Deus), que fustiga o Estado sionista a partir do Líbano.

A ideia de provocar umha guerra contra o Irám e colocar ali um governo fantoche nom é nova, mas foi sobretodo a partir do 11 de Setembro que jornais reaccionários ianques, como o Wall Street Journal ou o Weekly Standard, publicárom numerosos artigos em que se incitava a invadir o país, oficialmente incluído no chamado "Eixo do Mal" inventado polo Governo Bush, e acusado de ser um "regime terrorista".



Voltar à página principal