O Governo espanhol rejeita mais umha vez limpar a Ria de Ferrol
2 de Outubro de 2003

O PP deixou claro no Congresso espanhol que nom tem intençom de dar passos na limpeza da Ria de Ferrol, convertida em autêntica esterqueira industrial e continuamente agredida por recheios, despejos incontrolados e especulaçom urbanística à sua volta.

O BNG apresentou no Congresso espanhol umha proposta que deixou em evidência o nulo interesse do Partido Popular pola Ria ferrolana. Se a isto acrescentarmos a atitude criminosa do próprio PP no Governo da Junta da Galiza, negando sistematicamente a depuraçom das águas da Ria, e as várias legislaturas em que o PP governou na cidade de Ferrol sem promover a regeneraçom de um espaço de grande riqueza ambiental e económica, acabamos por confirmar sem lugar a erro que a direita espanhola só tem interesse em espoliar impunemente as riquezas do nosso país sem a mais mínima atençom à conservaçom da riqueza natural galega.

Infelizmente, o próprio BNG carece de suficiente autoridade política na hora de apresentar umha iniciativa como a que comentamos, umha vez que a sua contraditória política no referente à Ria de Ferrol varia segundo o concelho de que se tratar. Assim, o BNG de Mugardos apoia os recheios realizados polo empresário Tojeiro e a perigosíssima planta de gás que pretende instalar no interior da Ria nessa demarcaçom municipal, enquanto em Ferrol a mesma organizaçom di que quer que o projecto seja conduzido à entrada da Ria, em Canelas. Lembremos que o movimento ecologista, assim como a esquerda independentista organizada em NÓS-UP, rechaça a planta de gás em qualquer das duas situaçons possíveis, por desnecessário, perigoso e degradante para um meio já muito degradado como o da Ria de Ferrol.

Também resulta contraditória a suposta defesa da Ria por parte do BNG quando tem apoiado desde os governos municipais dessa comarca (Ferrol, Fene, Mugardos...) um porto exterior que está já em construçom e que além de ter destroçado um litoral de grande valor paisagístico e ambiental, provocará graves problemas de regeneraçom de águas e espécies marisqueiras no interior de umha Ria que ficará taponada por um grande dique mesmo na sua entrada, segundo tenhem denunciado repetidamente organizaçons como ADEGA e Greenpeace.

Ao mesmo tempo, o Governo municipal BNG-PSOE permitiu, com o seu desleixo, que agora o PP esteja disposto a realizar desde o Governo da cidade um novo recheio na Malata, devido a que o Governo anterior nom fijo alegaçons a um projecto que com a escusa de construir umha estaçom de bombeio para a futura depuradora agredirá novamente e de maneira grave a Ria de Ferrol.

Ante a sucessom de despropósitos por parte dos principais partidos do sistema, os dous espanhóis e o autonomista galego, só o independentismo tem apoiado os movimentos sociais que, como o ecologista, exigem a regeneraçom ambiental e o aproveitamento racional dos recursos da Ria de Ferrol.





Voltar à página principal