Em Nafarroa, apesar do governo espanholista, cresce o modelo euskaldun no ensino público
8 de Setembro de 2003

Mais umha vez, fica em evidência a falta de correspondência mecánica entre a orientaçom política institucional e o avanço dos direitos lingüísticos minorizados. Em Nafarroa, pedaço de Euskal Herria em que governa a direita espanhola e se marginaliza institucionalmente a língua basca, o número de escolares de três anos que optárom neste novo ano académico por um ensino euskaldun aumentou nos centros públicos até 1.141, enquanto o modelo em espanhol ficou em 918. Aumentam as matriculaçons em euskara e descem as matriculaçons em espanhol.

Trata-se de umha tendência que bate com a orientaçom política do governo autonómico, que acossa abertamente o uso do basco. Mais de um terço das crianças menores de três anos estudarám no modelo D (euskaldun) (1.141), superando o número de matriculados de quatro e cinco anos no mesmo modelo (1.116 e 1.118 respectivamente). A tendência no modelo de ensino em espanhol (modelo G) é justo a contrária (1.056 matrículos nas crianças de 5 anos, 980 nas de 4 e 918 nas de 3 anos).

Nos centros privados concertados, porém, continua havendo mais matrículas nos modelos pró-espanhol.

Deve-se salientar o grande trabalho social à margem das instituiçons que realiza a comunidade lingüística basca no seu país, que vai da sensibilizaçom à posta em andamento de escolas e outras muitas medidas efectivas para a recuperaçom da consciência e o uso da língua própria, que ao longo de décadas tem conseguido um aumento significativo nos usos sociais e no prestígio do Euskara nos diversos territórios da naçom basca.



Voltar à página principal