O sionismo condena 70% da populaçom palestiniana a viver na pobreza
10 de Junho de 2003

O Escritório Central de Estatísticas Palestinianas publicou um inquérito demolidor que retrata a situaçom sócio-económica do povo palestiniano. Quase dous milhons e meio de palestinian@s, a maior parte residente na faixa de Gaza, vivem na pobreza, tomando como referência a da família com seis membros que recebem ordenados iguais ou inferiores a 400 dólares por mês. Isto significa que quase 70% da populaçom palestiniana é pobre.

Foi a partir da ofensiva sionista contra a Palestina, que provocou em Setembro de 2000 o início da segunda Intifada, quando mais de 100.000 palestinian@s ficárom no desemprego, ao serem segregad@s e reprimid@s de jeito massivo por parte do Estado de Israel. Lembremos que a populaçom tem proibido até atravessar a fronteira para poder deslocar-se aos seus empregos. Daí que a maior parte dos três milhons e meio de palestinian@s que vivem na Cisjordánia e Gaza subsistam no desemprego, à espera de programas de alimentos e ajudas de organismos internacionais para sobreviver. Desde 2000, até 50% da populaçom palestiniana perdeu metade da sua renda mensal anterior.

Nom é esta a primeira pesquisa que chega a conclusons similares, o que confirma que a política de expulsom ou extermínio, aplicada polo sionismo na Palestina, tem faces violentas para além do assassinato constante e da repressom física contra o heróico povo palestiniano.




Voltar à página principal