Efeitos do Prestige continuam: Retirada a "bandeira azul" da praia das Catedrais. As análises de peixe e marisco som insuficientes para garantir a segurança alimentar
29 de Julho de 2003

A maré negra do Prestige continua a castigar a Galiza: chapapote ainda chega às costas, fauna marinha danada,... Foi retirada a "bandeira azul" da praia das Catedrais, enquanto Ecologista em Acçom considera que as análises de peixe e marisco som insuficientes para garantir a segurança alimentar

Tal e como vimos informando em diversas ocasions de Primeira Linha em Rede, a maré negra do Prestige, apesar da propaganda e mentiras do governo espanhol e os seus lacaios na Galiza, segue a castigar a nossa naçom. As nossas costas recebem diariamente novas manchas de chapapote, enquanto a diversas fauna marinha continua a sofrer as graves conseqüências da negligência e ineptidom das autoridades espanholas.

Hoje, terça-feira 29 de Julho, conhecíamos que a "Bandeira Azul" (distinçom europeia que reconhece os areais mais limpos e em melhores condiçons) foi retirada da praia das Catedrais, na comarca da Marinha, perto da vila de Ribadeu, aonde nas últimas semanas nom cessavam de chegar diariamente restos do fuelóleo que transportava o barco, tal e como podiam constatar as centenas de pessoas que se achegavam a visitar essa bela paragem do nosso litoral. Mesmo nas imediaçons instalara-se um florescente negócio, que vendia às pessoas que saiam da água, um trapo com óleo para limpar as manchas.

Enquanto o próprio alcaide (PSOE) da vila de Ribadeu, Balbino Pérez Vacas, reconhecia a necessidade de retirar a bandeira ante "a entrada de quantidades preocupantes de chapapote", o presidente da Deputaçom Provincial de Lugo, Francisco Cacharro Pardo (PP), valorizava como "um simples contratempo" a chegada do chapapote, argüindo que é um "inconveniente que todos lamentamos", e, com certeza, sem reconhecer nengumha responsabilidade, política e criminosa, na atitude do seu partido e o seu governo na catástrofe. A bandeira azul também está presente na praia dos Castros, ainda que deste areal nom foi retirada pois as autoridades nom consideram grave a quantidade de chapapote que chega a ela.

O mesmo dia que conhecíamos a decisom de retirar a bandeira, um novo comunicado de Ecologista em Acçom alertava sobre as análises realizadas ao peixe e ao marisco, insuficentes, segundo esta organizaçom, para garantir a segurança alimentar.

Ecologistas em Acçom critica a pobreza dos estudos que se estám a realizar, "tanto na distribuiçom do número de mostras por espécies e grupos de espécies quanto por zonas e territórios", que fai com que para determinadas espécies o número de análises seja "ridículo".





Voltar à página principal