AFEGANISTÁM: ENTRE 800 E 4.000 VÍTIMAS MORTAIS CIVIS DESDE OUTUBRO DE 2001

21 de Julho de 2002

Um estudo feito pela ONG Mudança Global estabeleceu que os ataques aéreos norte-americanos já matárom cerca de 800 civis no Afeganistám, segundo noticiou ontem o jornal "The New York Times". A entidade afirma que esse número deve aumentar à medida que chegarem informaçons das regions mais remotas.

Outros estudos apontam uma mortandade bem maior. O professor norte-americano Marc Marc Herold, da Universisdade de New Hampshire, divulgou em Janeiro um estudo avaliando que os Estados Unidos matárom 4 mil pessoas desde o início dos bombardeios em 7 de outubro - um número superior aos 3 mil mortos nos atentados do 11 de Setembro. O levantamento de Herold foi feito com base em informaçons das agências de notícias, jornais e testemunhos pessoais.

O Governo acha que mortos fôrom poucos

Já o governo afegao tem outra avaliaçom. Taieb Jawad, porta-voz do presidente Hamid Karzai, dixo à BBC de Londres que os civis mortos nos ataques norte-americanos fôrom menos de 500. Ele considerou esse número pequeno, dada a dimensom das operaçons militares em curso. Jawad reconheceu, porém, umha denúncia da Mudança Global: a preferência norte-americana por operaçons aéreas, e nom terrestres, eleva o número de vítimas civis.

O recente bombardeio de umha aldeia da província de Uruzgan continua sem umha versom definitiva. Segundo o próprio governo de Cabul, ele deixou 46 mortos, dos quais 22 participavam de umha festa de casamento. As autoridades militares norte-americanas prometêrom apurar o episódio, mas as investigaçon resultárom em versons contraditórias. A chacina revoltou a populaçom afegá e provocou em Cabul a primeira manifestaçom de protesto desde o início da ocupaçom norte-americana.

Seja como for, nom deixa de resultar eloqüente a evidência de que, ao contrário do acontecido em 11 de Setembro em Nova Iorque, no caso afegao os mortos nom estám nem contados.

Voltar à página principal