Argentina: Dura repressom contra operári@s que geriam umha fábrica abandonada polo empresário

23 de Abril de 2003

Umha brutal carga policial acabou com a experiência autogestionária dos operários e operárias que recuperaram a empresa têxtil Brukman, umha vez abandonada polos seus donos. 200 pessoas entre feridas e detidas foi o saldo da acçom policial contra quem tentava levar avante a fábrica desde 2001 à margem dos patrons burgueses.

Milhares de manifestantes apoiavam o colectivo operário, incluídas as Maes de Praça de maio, assembleias vicinais e outros colectivos. Logo de serem despejad@s da fábrica, o colectivo tentou reocupá-lo, batendo com as granadas de gás lacrimogéneo e balas de borracha e de chumbo, numha brutal repressom que tem lugar na véspera das eleiçons presidenciais numha Argentina depauperada e arrasada polo neoliberalismo capitalista, com índices de pobreza superiores a 60%.

Sectores da esquerda anticapitalista analisam esta acçom num contexto em que tenta criar-se um clima propício para a instauraçom de medidas autoritárias ante o avanço das posiçons revolucionárias na sociedade argentina.

 


Voltar à página principal