Batasuna após as eleiçons municipais e regionais 2003 no País Basco

Após as eleiçons municipais e regionais 2003 no País Basco a esquerda independentista basca segue a ser imprescindível.As eleiçons municipais e regionais do 25 de Maio que se acabam de celebrar no País Basco (Sul) caracterizárom-se polo seu evidente desenvolvimento antidemocrático. O governo do Partido Popular tentou por todos os meios condenar ao ostracismo mais duro a esquerda independentista basca: ilegalizaçom de Batasuna, detençom dos membros executivos da instituiçom intercomunal Udalbiltza, suspensom legal das candidaturas populares (avalizadas por mais de 88.000 cidadaos e cidadás), requisitamento das papeletas de voto pola polícia, proibiçom dos comícios, manifestaçons e da propaganda política… Ademais, por meio de esta ilegalizaçom, a esquerda abertzale foi marginalizada de todos os debates eleitorais oficiais. Mas apesar de isto, por acima do boicote mediático, por cima da dificuldade de distribuir e encontrar as papeletas de voto, por acima da tentaçom alimentada por os ultra-nacionalistas espanhóis e os regionalistas bascos em torno ao voto útil, 168.000 cidadaos e cidadás depositárom o seu voto nas urnas em favor das candidaturas populares ilegalizadas. Apesar de saber que o voto que emitiam seria contabilizado oficialmente como nulo, 168.000 personas, é dizer o 11% da populaçom defendêrom a opçom política de esquerdas e da autodeterminaçom. Foi um verdadeiro acto de desobediência civil massiva na que 168.000 pessoas reafirmárom a sua determinaçom por viver numha sociedade realmente democrática onde todas as expressons políticas de todos e todas as cidadás do País Basco assim como a defesa dos seus projectos estivessem totalmente garantidos. Como se podem considerar legítimas estas eleiçons ? Acaso se pudo votar em liberdade? a aposta realizada pola esquerda abertzale nom fai senom sublinhar o carácter absurdo e arbitrário das medidas político judiciais antidemocráticas às que se vê submetida a cidadania basca. Em espera de conhecer os resultados definitivos propostos pola Comissom de Garantias e das instituiçons oficiais para realizar umha análise em profundidade sobre a situaçom criada depois das eleiçons, fazemos um chamamento a todas as formaçons políticas que defendem a democracia para que respeitem a vontade popular exprimida nas urnas e, nesse sentido, rechacem as regras partidistas impostas por Madrid.

Joseba Alvarez parlamentário da Esquerda Independentista basca

Voltar à página principal