Ianques e ingleses lançam bombas de fragmentaçom, proibidas polo seu poder destrutivo
3 de Abril de 2003

Amnistia Internacional e outros organismos internacionais denunciárom o uso de bombas de fragmentaçom por parte das forças ocupantes no Iraque, exigindo o fim da sua utilizaçom a ianques e ingleses.

O uso de armamento proibido em acordos internacionais como as bombas de fragmentaçom e o napalm explica o alto número de vítimas civis. A bomba de framentaçom está cheia de pequenos projécteis com esferas de metal, pregos e agulhas. Ao explodir, esses projécteis espalham-se em alta velocidade, causando ferimentos graves, mutilaçons e mortes indiscriminadas.

A própria BBC informou da utilizaçom dessas bombas por parte do exército inglês nestes dias em Bassorá. O próprio comando británico reconheceu a sua utilizaçom em diversos locais do país, pola sua "efectividade para neutralizar veículos militares".

Também USA reconhece que os seus B-52, que sobrevoam o Estado espanhol caminho do Iraque, lançam bombas de fragmentaçom contra as defesas de Bagdad.

 



Voltar à página principal