A resistência chechena destrói um hospital militar russo causando entre 20 e 25 mortes
1 de Agosto de 2003

As guerrilhas chechenas continuam a sua luita de libertaçom nacional contra o imperialismo russo. Entre 20 e 25 soldados dessa nacionalidade resultárom mortos no ataque com um camiom armadilhado contra um hospital militar em Mozdok, na república da Ossétia do Norte, vizinha da Chechénia no Cáucaso.

O camiom armadilhado era conduzido por umha pessoa que também morreu ao explodir no interior do recinto hospitalar. Todo o prédio, de três andares, foi destruído pola potente explosom.

A cidade ossétia de Mozdok tem sido raramente afectada por acçons guerrilheiras, mas foi já palco de um ataque-suicida, há dous meses atrás, quando umha mulher se fijo explodir num autocarro militar, causando a morte a 18 pessoas, principalmente pilotos das Forças Armadas russas.

A contagem inicial feita pública polo Ministério russo de Situaçons de Emergência na acçom armada contra o hospital fala em 20 ou 25 militares russos mortos, se bem se continuam procurando possíveis vítimas entre o entulho do que era um hospital em que eram atendidos os soldados russos ocupantes da Chechénia. Também há um número indeterminado de feridos.

Confirma-se portanto a continuidade da luita do povo checheno pola sua liberdade, apesar da intensa repressom militar russa sobre umha populaçom dizimada pola guerra de extermínio conduzida primeiro por Boris Ieltsin e agora por Vladímir Putin.




Voltar à página principal