A FLNC DENUNCIA QUE O NOVO GOVERNO FRANCÊS NOM TEM VONTADE DE RESOLVER O CONFLITO COM A CÓRSEGA

A Frente de Libertaçom Nacional da Córsega (FLNC), organizaçom armada que já cumpriu dous anos de cessar-fogo unilateral para facilitar as negociaçons com o Estado francês sobre o futuro da Córsega, exprimiu ontem as suas dúvidas de que o Governo de Jean Pierre Raffarin "tenha capacidade para resolver o problema" corso.

Em conferência de imprensa clandestina, a FLNC indicou que "a história recente demonstra-nos que sejam quais forem os métodos escolhidos, o mais freqüente é eles resultarem falidos por falta de vontade para negociar".

Os independentistas sublinhárom que "por enquanto, os políticos ficam contentes com manterem-se no estádio das intençons", embora, afirmam, "haja medidas fáceis de implementar e que constituiriam elementos de avanço". Segundo a FLNC, que reivindicou a inscriçom na Carta Magana da "particularidade do estatuto da Córsega", "nom é às constituiçons que falta valor, mas aos políticos que as lêm".

A conferência de imprensa, em que participárom por volta de trinta militantes corsos, produziu-se após a visita de Raffarin e do ministro de Interior Sarkozy, que propugérom que a Córsega fosse "precursora" da descentralizaçom do Governo. Essa proposta foi recebida com cautela polo nacionalismo representado politicamente em Corsica Nazione.

Voltar à página principal