Madrid: balanço da Conferência de saqueadores
26 de Outubro de 2003

O que eufemisticamente nos vendem como "Conferência de Dadores", esse encontro de 60 estados e 225 empresas na capital espanhola, foi apenas o reparto do botim iraquiano após a guerra de rapina impulsionada polos EUA com o apoio espanhol. Um reparto que o próprio secretário de Estado ianque, Collin Powell, definiu como "Telemaratona". De maneira igualmente eloqüente quanto ao valor da iniciativa, o presidente espanhol e o máximo representante da ONU cortárom bruscamente a conferência de imprensa em que apresentavam a Conferência para nom chegarem tarde ao estádio Santiago Bernabeu e poderem assim ver em acçom o seu Real Madrid.

Por seu turno, os empresários espanhóis gabárom-se nos últimos dias ante as cámaras da sua privilegiada posiçom para arranjar contratos na "reconstruçom" do país, umha vez que o Governo de Aznar estivo em primeira fileira na destruiçom prévia. Claro que empresários de outros estados nom se desanimam e afirmam que "nom há problema, a torta é muito grande", assim, literalmente.

O amo ianque será afinal o encarregado de repartir essa torta, afirmando os seus representantes que ficarám no país até "garantirem a segurança", quer dizer, até garantirem que as transnacionais e grandes empresas capitalistas podem extrair o petróleo e outras riquezas do país.

As tretas do imperialismo repetírom-se no encerramento da Conferência, ante o evidente fracasso na arrecadaçom de dinheiro para a "reconstruçom". Os 33.000 milhons que se "doárom", ficam em menos de metade do que os próprios organizadores cifravam como necessário para a dita "reconstruçom" do Iraque. Por isso, Aznar falseou dados, incluindo verbas alheias à citada "telemaratona" e outras sem confirmar, para maquilhar o longe que ficárom das expectativas criadas. Além do mais, convém nom esquecermos que o dinheiro será só emprestado, devendo ser devolto polo povo iraquiano com os correspondentes juros. Nom haverá entrega "a fundo perdido", senom à conta da já enorme dívida imposta ao Iraque desde 1991, que se eleva a 350.000 milhons de dólares. Naturalmente, ninguém falou na Conferência de Madrid de cancelaçom da dívida externa. A desvergonha é mais do que evidente.

Entretanto, o povo iraquiano padece umha pobreza generalizada e a repressom de umha ditadura militar estrangeira, ante a qual cresce umha resistência patriótica que é o único organismo que pode garantir a autêntica reconstruçom do país, prévia derrota das forças imperialistas ocupantes.

De facto, neste mesmo fim de semana continuárom a caír novos soldados ianques em território do Iraque, ao tempo que novos oleodutos fôrom incendiados pola resistência iraquiana. O próprio hotel em que se alojava o subsecretário da Defesa norte-americana, Paul Wolfowitz, foi atacado com foguetes, matando um oficial do exército estado-unidense e e ferindo mais 16 pessoas. Também um conjunto de veículos bélicos ocupantes foi destruído com explosivos, morrendo ao menos um soldado e ficando feridos vários.

Voltar à página principal