MAIS DE 4.000 PESSOAS MORRÊROM NO ESTREITO DE GIBRALTAR
Responsabilidade partilhada por Marrocos e Espanha

GARA, 1 de Agosto de 2002

Mais de 4.000 pessoas morrêrom ou desaparecêrom no Estreito de Gibraltar quando tentavam chegar ao Estado espanhol de patera desde 1997 e até o primeiro semestre deste ano, segundo as estimaçons facilitadas ontem polo vicepresidente da Associaçom de Trabalhadores Imigrantes Marroquinos de Espanha (ATIME), Kamal Rahmouni, durante a apresentaçom da campanha "Nom mais mortes no Estreito"

Rahmouni afirmou que a cifra de pessoas que desaparecem ou perdem a vida no Estreito "é escandalosa" e assegurou que evitá-lo é umha responsabilidade partilhada polos governos de Marrocos e Espanha. Só no primeiro semestre de 2002, recuperárom-se 14 cadáveres e 18 pessoas permanecem desaparecidas em águas espanholas, a falta de contabilizar as acontecidas na beira marroquina.

Voltar à página principal