A CAG conta com 32 empresas que praticam a escravidom e a sobreexploraçom da classe trabalhadora

As empresas de trabalho temporário (ETTs) tinham abertos um total de 32 centros na CAG em Setembro de 2002, segundo os dados do "Boletim de Estatísticas Laborais" do ministério espanhol de Trabalho e Assuntos Sociais, situando ao nosso país no posto nono do conjunto do Estado espanhol em número de empresas deste tipo.

Por "comunidades", o maior número de centros de trabalho de ETT's concentra-se em Madrid, onde em Setembro de 2002 o número elevava-se a 134, seguida de Catalunha (123), Andalucía (69), o País Valencià (64) e Bascongadas (56).
Estas empresas som umha autêntica lacra que pratica umha moderna escravidom contra os sectores mais fracos das classe trabalhadora, especialmente a mocidade, as mulheres e os desempregad@s de longa duraçom.


Voltar à página principal