Fala Ceibe reclama que a nova Lei de Comarcalizaçom do Berço reconheça a sua galeguidade

10 de Dezembro de 2002

O Colectivo galeguizador Fala Ceibe, que defende os direitos lingüísticos da populaçom da comarca galega do Berço, ante a sua total desprotecçom por parte das autoridades espanholas, acaba de fazer pública a sua reclamaçom de que a reforma da Lei da Comarca do Berço "inclua expressamente umha referência a língua galega na prevista modificaçom". O contrário, anunciou a citada associaçom, "seria interpretado como umha falta total de respeito".

Fala Ceibe pom o dedo na ferida ao denunciar que os rascunhos manejados por PP e PSOE excluem qualquer referência à existência do galego como língua própria da comarca em questom, a pesar de que o Estatuto de Autonomia de Castela e Leom sim fai umha referência ao "respeito e protecçom à língua galega", mençom testemunhal e retórica, mas que implica o reconhecimento de que o galego fai parte do património cultural de bercianos e bercianas.

Com o projecto de PP e PSOE sobre a mesa, pode dar-se o paradoxo de que os que presumem de mais "constitucionalistas" estejam a ir contra a letra de um Estatuto de Autonomia aprovado por eles mesmos, com o objectivo de aprofundar no abandono legal dos direitos lingüísticos galegos na comarca do Berço, Seabra e as Portelas.

Voltar à página principal