Ianques e ingleses causárom fim de semana sangrento
30 de Março de 2003

Na sexta-feira, mísseis ianques voltárom a atacar objectivos civis. Um mercado cheio de gente foi desta vez o alvo, e o saldo 65 civis mortos e dúzias de pessoas feridas.

Também por dúzias se contam os mortos e mortas em diversas cidades do sul e do norte do país. Em Naiaf, por exemplo, a sul do país, cerca de 50 pessoas morrêrom no fim de semana e mais de 125 fôrom feridas. Bairros residenciais, prédios de serviços públicos básicos, centros de trabalho e prédios de habitaçom estám a ser selvagemente destruídos polas forças ianques e inglesas, com apoio logístico espanhol.

Grandes cidades estám assediadas e sem subministraçom de água, apesar do qual o povo iraquiano resiste e impide de armas na mao o acesso dos exércitos invasores. Os hospitais estám saturados de crianças feridas, sendo elas o mais sangrante e evidente objectivo militar ocidental. Nom é portanto de estranhar o recurso às acçons suicidas contra as tropas ocupantes, como a que num posto de controlo causou no sábado a morte a quatro soldados norte-americanos.

Durante todo o fim de semana, a heróica resistência das guerrilhas populares iraquianas tem feito recuar as tropas invasoras, que só graças à superioridade económica e tecnológica continuam a castigar o povo iraquiano desde o ar sem piedade.

Contodo, vários caças estado-unidenses e ingleses, bem como alguns avions-espias, fôrom derrubados pola resistência iraquiana. Também helicópteros "aliados" tenhem sido destruídos, e nas últimas horas um acampamento ocupante cheio de veículos pode ter sido arrasado pola água de umha barragem aberta polas milícias iraquianas.

Ao mesmo tempo, as mobilizaçons continuam à volta do globo. O povo iraquiano necessita todo o apoio dos povos do mundo. A sua luita anti-imperialista é também a nossa, e deve contar com o incondicional apoio dos povos do planeta, também do povo galego.



Voltar à página principal