Galiza contra a guerra imperialista

Mais de 300.000 pessoas, o 10% da populaçom da Galiza, secundárom as mobilizaçons contra a guerra que onte 15 de Fevereiro demonstrárom que o conjunto dos povos do mundo estám contra a intervençom militar imperialista no Iraque.

O primeiro acto contra a guerra tivo lugar à 1 da tarde na compostelana praça do Toural. Cento cinquenta pessoas participárom na concentraçom e posterior manifestaçom convocada pola "Plataforma Galega pola paz e a nom intervençom" que aglutina às diferentes entidades do MLNG. Esta plataforma anunciou que tem convocada à 8 da tarde do dia que se inicie a guerra umha concentraçom diante do Barclays Bank, na rua general Pardinhas da capital da Galiza, por ser um das empresas representativas do complexo-militar industrial com presença em Compostela.

Ao longo do dia tivérom lugar nas principais cidades e vilas do país multitudinárias manifestaçons convocada pola "Coordenadora galega pola paz", configurada polas centrais sindicais, o autonomismo e as organizaçons da esquerda espanhola, incluído o PSOE. O MLNG, embora vetado nesta plataforma, participou activamente nas diferentes localidades onde tem presença.
A manifestaçom mais numerosa foi a de Vigo com 150.000 pessoas. Na Corunha a concentraçom reuniu 35.000; Ponte-Vedra 35.000; Compostela 30.000; Ourense 15.000; Ponferrada 12.000; Ferrol 8.000; Lugo 7.000; Vila-Garcia 3.000. Também houvo concentraçons em Noia, Foz e outras vilas do país.
Destacar o oportunismo do PSOE, o mesmo que participou activamente na guerra de 1991 baixo o governo de Felipe González ou apoio a intervençom militar do Afeganistám em 2001, sumando-se activamente a este movimento social, por pura rentabilidade eleitoral. A sua presença nas manifestaçons e no seio da "Coordenadora galega pola paz" vem da mau do autonomismo.

Umha das palavras de ordem utilizadas no cortejo da esquerda independentista foi "PSOE-PP a mesma guerra é".

A resposta de Aznar e do PP a estas mobilizaçons é o anúncio de que o presidente do governo espanhol, numha nova viagem de estado, assistirá a vindoura semana a umha reuniom com Bush no seu rancho de Texas para receber as instruçons do império.


Voltar à página principal