Grande mobilizaçom de Nunca Mais em Madrid: o reformismo espanhol frota as maos

Convocad@s pola Pataforma Nunca Mais, dezenas de milhares de espanhóis e galeg@s manifestárom-se pola capital de Espanha para exigir responsabilidades no caso Prestige. Esta grande mobilizaçom confirma a capacidade de convocatoria de Nunca Mais, que foi capaz de levar milhares de galegos e galegas a Madrid para reclamar a depuraçom de responsabilidades no desastre do Prestige.
É, pois, motivo de satisfaçom comprovarmos o bom estado de saúde do movimento de massas galego, se bem temos que lamentar que tenha assumido o discurso da sua direcçom reformista e renunciado ao ámbito territorial e ao universo simbólico e humano galego como referência da luita em defesa da nossa terra. Com efeito, a luita galega que nos últimos meses centrou os seus esforços na própria Galiza, diluiu-se nas ruas de Madrid dando protagonismo aos grandes partidos e sindicatos reformistas espanhóis e homologando-se como "luita espanhola".
Nom só o protagonismo do PSOE, de IU, de CCOO, de UGT corroboram este facto. As referências e personagens da cultura galega diluírom-se entre os grupos musicais e actores espanhóis que representárom os milhares de manifestantes anónimos. Desapareceu a reivindicaçom nacional e a permanência da Galiza como centro da acçom e a luita, por mais que o autonomismo galego tente falar de umha suposta "marcha sobre Madrid".
Pola nossa parte, Primeira Linha continuará a apoiar a autoorganizaçom em parámetros nacionais do movimento popular, combatendo o eleitoralismo que subjaz nos dirigentes políticos que actualmente hegemonizam o movimento de massas galego.
Seremos os primeiros em alegrar-nos do fim dos governos fascistóides do PP, mas também em afirmar, contra toda ilusom, que a chegada do reformismo autonomista ao poder na Junta nom servirá para que a Galiza seja transformada em direcçom à soberania e ao socialismo. Tampouco para acabar com o patriarcado.
Só a consolidaçom do movimento independentista no seio das massas e umha direcçom política revolucionária à sua frente poderá servir aos fins históricos do movimento patriótico e progressista galego.



Voltar à página principal