A SITUAÇOM DA POBREZA MUNDIAL PIORA, SEGUNDO A ONU

A situaçom nos países mais pobres do mundo está piorando mais do que se imaginava. As próprias instituiçons capitalistas reconhecem esta evidência, e a última a fazê-lo foi em 18 de Junho um relatório da Conferência das Naçons Unidas para Comércio e Desenvolvimento - Unctad.

De acordo com o documento, o número de pessoas que vivem com menos de 1 dólar por dia nos 49 países mais pobres do mundo -principalmente em África- mais do que duplicou nos últimos 30 anos, chegando a 307 milhons, o que equivale a 65% da populaçom. As estimativas som de que este número pode chegar a 420 milhons em 2015.

O relatório que comentamos tem 285 páginas e é considerado o estudo mais completo sobre pobreza já realizado nos 49 países mais pobres do mundo, embora o facto de ser promovido por organismos dependentes dos do Norte capitalista faga pressupor que as cifras reais ham de ser bem mais negativas, umha vez que costumam maquilhar a crua realidade do capitalismo no mundo.

Apesar do crescimento económico apontado polos grandes dados macroecónomicos na Ásia, dous terços da populaçom vivêrom com menos de 2 dólares por dia na segunda metade da década de 90, com umha média de consumo diário de 1,42 dólares.

Nos países mais pobres de África -que inclui 34 dos 49 países mais pobres do mundo- quase nove entre cada 10 pessoas vivem com menos de 2 dólares por dia, em comparaçom com o consumo per capita de 41 dólares por dia nos Estados Unidos.

O Congo é o país que regista os piores índices, com 90,5% da populaçom vivendo com menos de um dólar por dia. Na Ásia, o país em pior situaçom é Mianmar, a antiga Birmánia, onde esta taxa equivale a 52,3%.

A "globalizaçom", que diminui as barreiras internacionais para o comércio e o investimento "está agravando a armadilha da pobreza internacional", segundo reconhece o documento.

A seguir, apresentamos alguns gráficos a partir dos dados das próprias instituiçons capitalistas como o Banco Mundial ou a ONU, que servirám para visualizarmos (seguramente maquilhada) as crescentes desigualdades sociais do mundo actual.

Voltar à página principal