Centos de manifestantes contra Aznar em Compostela
O autonomismo volta a colaborar coa polícia espanhola

Um forte contigente das unidades de intervençom da polícia espanhola impediu o acesso do perto de um milhar de manifestantes, convocad@s por Nunca Mais, ao Palácio de Congressos e Exposiçons de Compostela, onde o PP realizou umha convençom eleitoral. Eram as 11.30 horas do domingo 26 de Janeiro quando os gritos de "Prisom e demissom", "ilegalizaçom do PP", "Espanha nunca mais", "Estamos fart@s de ser umha colónia", "Fora as forças de ocupaçom", chegávam aos ouvidos d@s carregos públicos e militantes da direita espanhola convocados por Aznar.

A importante presença da esquerda independentista provocou desde os primeiros momentos o receio e nervosismo dos funcionários do autonomismo que, como em ocasions anteriores, cumprírom o papel de polícia paralela. Apesar das constantes provocaçons policiais contra @s trabalhadores/as da imprensa, e da atitude chulesca que mantivérom contra vári@s manifestantes, nom houvo incidentes graves. Terrons e dúzias de ovos fôrom lançados contra as forças de ocupaçom enquanto a burocracia sindical cumpria o lamentável papel desmobilizador. Os importantes apoios à prática combativa do MLNG de parte das pessoas congregadas forçou ao autonomismo a desconvocar a concentraçom sem aguardar à saída de Aznar do Palácio de Congressos. Com estas atitudes colaboracionistas, de instrumentalizaçom eleitoral da indignaçom popular, mais de um estará fazendo pontos para servir às ordes de Acebes. É umha pena que paguem menos que ser liberado sindical. Lamentável!.



Voltar à página principal