Prestige: Seis meses depois, persistem o fuelóleo e as responsabilidades
14 de Maio

Metade do litoral da zona protegida das Ilhas Atlánticas continua poluída, e mais de 300 praias mantenhem o fuelóleo abaixo das primeiras camadas de areia, enquanto os rochedos da maior parte do litoral atingido continuam pretos. Além disso, 35.000 toneladas de crude continuam no buque, no fundo do mar, a largar fuelóleo constantemente.

Frente a essa constatável realidade, a farsa mediática dos governos do PP difundem a suposta limpeza de praias e resoluçom do problema a golpe de subsídios escassos e que só pretendem comprar consciências, ao tempo que se reprime os membros dos colectivos afectados que participam no movimento popular que exige responsabilidades.

Ninguém duvida que se hoje volta a calhar o azar, a situaçom poderia reproduzir-se nos mesmos termos, umha vez que nom fôrom tomadas medidas estruturais para evitar que aconteça outro Prestige. A Galiza continua sem rebocadores suficientes e modernos, sem buques anti-contaminaçom. Outros países que sofrêrom marés negras, como o Canadá, sim tomárom medidas, mas a Administraçom espanhola continua na sua criminosa atitude de desprezo pola Galiza.

Eis a situaçom da Galiza seis meses após o maior desastre ecológico da sua história.


Voltar à página principal