O povo iraquiano, organizado em guerrilhas, defende corajosamente a sua soberania nacional
25 de Março de 2003

As tropas norte-americanas, mil vezes melhor fardadas e equipadas com todo o tipo de armamento e meios tecnológicos e materiais, está a ser respostada por um povo que rejeita ser invadido e ocupado. Milicianos organizados em guerrilhas continuam a causar baixas às forças imperialistas, que cada dia enviam, em caixons, novos cadáveres de soldados invasores com destino à Gram Bretanha e os USA.

Apesar do grave custo que esta guerra imposta está a ter para a populaçom civil iraquiana, este povo está a dar umha liçom de dignidade nacional e combate antiimperialista a todo o mundo.

Soldados ianques começam a sofrer pánico ante as emboscadas e a presença camuflada de milicianos iraquianos, vendo-se amiúde obrigados a retirarem-se para o deserto ante a insegurança que vivem nas cidades e vilas ocupadas.

Kirkuk, a norte do país e com 190 mil habitantes, é o penúltimo fracasso imperialista, ao ver-se as forças anglo-norte-americanas incapazes de fazer-se fortes nela ante a persistência da resistência iraquiana. Na sua tentativa de dobregar o povo iraquiano, os invasores estám a bombardear também as populaçons curdas e xiís do norte, apesar de que nos últimos dias os meios de comunicaçom diziam que queriam "libertá-los".

Hoje mesmo, um caça F-16 "aliado" disparou contra umha bateria de mísseis "Patriot", segundo confirmou o Comando Central dos EUA, no Qatar. O incidente ocorreu 48 quilómetros a Sul de Najaf, e o míssil disparado polo F-16 atingiu e destruiu o radar da bateria de mísseis "Patriot". Mais umha mostra dos problemas que ianques e ingleses atravessam no Oriente Médio.

Só nas últimas horas e em Nasiriya, no sul, uns 40 soldados ianques podem ter morrido em combate com as forças patrióticas iraquianas, segundo a televisom libanesa. Polos vistos, está a dar-se umha contraofensiva iraquiana na zona, incluída a península de Faw, que pode ter obrigado ao repregamento das forças imperialistas do sul. Infelizmente, também centenas de civis iraquianos estám a ser aniquilados pola aviaçom e a artilharia anglo-norte-americanas, o que obriga a mantermos e incrementarmos as mobilzaçons contra a guerra imperialista.


Voltar à página principal