As guerrilhas iraquianas resistem em bairros de Bagdad e noutras zonas do país
10 de Abril

Apesar da desproporçom de forças e da atitude sanguinária das tropas invasoras, o povo iraquiano em armas ainda resiste em bairros de Bagdad e noutras cidades e áreas do seu país. Hoje mesmo, vários marines ianques fôrom abatidos polos kalashnikov de milician@s iraquian@s. Também um novo marine morreu num atentado suicida num posto de controlo da capital. Semelha claro que, apesar da propaganda de guerra ocidental com que tanto colaboram os média do sistema, o Iraque nom se rende às forças imperialistas e defende com unhas e dentes a sua soberania nacional.

Além do mais, os próprios norte-americanos ponhem em evidência o carácter neo-colonial desta guerra, ao imporem a sua bandeira em locais simbólicos que chegam a controlar.

Porém, o exército mais poderoso do mundo continua a recorrer ao terror e à violência indiscriminada para esmagar a resistência iraquiana. Ontem mesmo, um tanque norte-americano disparou na capital contra umha ambuláncia, matando duas pessoas que eram transferidas a um hospital, ambas civis.

Numerosos cadáveres jazem nas ruas de Bagdad, alguns dentro de carros calcinados polo fogo estado-unidense, enquanto os invasores prendem pessoas suspeitas de defenderem a soberania do seu país. As próprias agências ocidentais reconhecem o "gatilho fácil" dos marines.

Apesar de terem dado ontem mesmo por finalizada a guerra de ocupaçom a todas as TVs do mundo, finalmente o comando ianque reconheceu que o povo iraquiano ainda resiste. A luita continua.


Voltar à página principal