Artefactos incendiários contra as sedes do PP de Ponte-Vedra e Moranha e um local da Junta em Compostela

4 de Abril de 2003

Dentro do ambiente geral de indignaçom contra o belicismo pró-imperialista do PP, duas novas sedes fôrom atacadas na passada madrugada na Galiza: na cidade de Ponte-Vedra e na vila de Moranha, bem como a sede da Direcçom Geral de Estruturas Pesqueiras da Junta da Galiza em Compostela sofrêrom ataques que produzírom danos materiais.

No caso da sede ponte-vedresa do PP, um artefacto explodiu polos vistos às 3 da madrugada danificando o local. Pouco antes, um outro artefacto incendiário rompeu os vidros da sede do Partido Popular em Moranha. Por último, também na capital da Galiza houvo um ataque, neste caso contra umha sede da Junta da Galiza, também com danos materiais como resultado.

O conselheiro de Pesca, López Veiga, afirmou que o seu partido se encontra "em permanente estado de agitaçom" enquanto Juan Luís Pedrosa, dirigente do PP em Ponte-Vedra, afirmou que nom é a primeira vez que o seu local é atacado, lembrando que em plena crise do Prestige também sofreu ataques com artefactos incendiários.

Os dirigentes do PP reconhecem que os ataques da passada noite podem estar em relaçom com o apoio do seu partido à guerra imperialista contra o Iraque.

O candidato do PP a alcaide de Ponte-Vedra, J. Luís Pedrosa, dixo que manteria a sua candidatura e que "luitarám com unhas e dentes por manter a democracia". Fraga afirmou que nom permitirám que os ataques "nos metam no armário", e dixo que "alguns querem batasunizar Espanha inteira".




Voltar à página principal