Novo morto em "acidente" laboral

Antes das once da manhá da passada segunda-feira morreu em Ourense um jovem operário quando caiu desde o segundo andar dumha obra na céntrica rua da Havana. Paulo Igrejas Gil, de 24 anos, assalariado da empresa Alumínios Couto faleceu poucos minutos depois deste novo episódio do terrorismo patronal, que o ano passado causou perto de 150 mortes na Comunidade Autónoma. A falta de medidas de segurança no trabalho, a precariedade laboral, os contratos temporários, som as principais causas que provocam a maioria dos acidentes laborais. O capitalismo nom só explora à classe operária, também provoca a sua morte. Consultar o trabalho de André Seoane Antelo no Abrente 26.


Voltar à página principal