Relatório da ONU inclui 47 casos de torturas policiais no Estado espanhol durante 2001
25 de Março de 2003

O último relatório feito público pola Comissom de Directos Humanos da ONU reconhece 47 casos de torturas no Estado espanhol em 2001. A maior parte dos casos reconhecidos pola ONU som atribuídos à Guardia Civil, ainda que também a Policía española e a Ertziana protagonizárom torturas durante esse ano, segundo denunciou o Relator Especial da Comissom de Direitos Humanos da ONU, o holandês Theo van Boven.
O Estado espanhol ocupa umha oitava parte do relatório, seguido de Sri Lanka, Turquia, China e Rússia. Além de incluir a citada meia centena de casos concretos de torturas, o relatório denuncia a ilegalidade manifesta da incomunicaçom e dos testemunhos obtidos durante esse período, fundamental na actualidade para que o tribunal político espanhol, a Audiencia Nacional, poda impingir duras penas sem garantias a numerosos acusados de "terrorismo".

A ONU exige no seu relatório que se investiguem as denúncias de maus tratos e critica a prática habitual no Estado espanhol consistente em conceder amnistias a funcionários com condenas firmes por torturas. Finalmente, o relatório hembra a necessidade de evitar a entrega de detidos a estados envolvimos em delitos desse teor, como o espanhol, para evitar que Sejas torturados.


Voltar à página principal