Pouco mais da metade d@s estadounidenses favoráveis a um ataque ao Iraque

Só o 59 por cento d@s estadounidenses som partidári@s do uso da força contra o regime de Sadan Hussein, inclusive sem o visto bom da ONU, mentras que quatro de cada dez afirmam ter reservas ante o iminente ataque, segundo umha sondagem realizada polo diário "Washington Post".

Segundo esta consulta, o 34 por cento mostra-se "inequivocamente" a favor de ir à guerra para derrocar a Sadam Hussein, inclusive sem o respaldo da ONU, mentras que outro 24 por cento apoia o uso da força mas com reservas. Pola sua parte, quase quatro de cada dez (37 por cento) declara-se em contra dumha intervençom militar.
Aqueles/as que afirmam ter reservas perante umha possível intervençom asseguram te-las pola necessidade do respaldo de Naçons Unidas (18 por cento); a perda de vidas (15 por cento); o alto custe da guerra (14 por cento); porque pensam que a guerra é injustificada e a ameaça é insuficiente (10 por cento); ou porque nom confiam no Governo (8 por cento), entre outras razons.

De acordo com o jornal, os últimos inquéritos venhem a mostrar que a opiniom pública estadounidense é variável e o seu apoio a um ataque contra o Iraque poderia mudar, se bem em todas as sondagens realizadas desde o 11 de Setembro de 2001, a maioria d@s estadounidenses mostravam-se partidários do uso da força contra este país.
Prova disto é que a soma d@s "duvidos@s" com @s que se declaram contra o ataque militar é um resultado no que seis de cada dez american@s tenhem algum tipo de dúvida sobre a guerra, porém só um terço se declara "inequívocamente" a favor da mesma.

Para o 'Washington Post', os resultados do inquérito ponhem de manifesto a divisom gerada pola agressiva política do presidente George W. Bush respeito ao Iraque, e sublinham a estreita margem de manobra coa que o presidente tem que operar quando ordene às tropas atacar. Sugire que de complicar-se o conflicto para Estados Unidos a opiniom pública americana poderia retirar o seu apoio à agressom militar.



Voltar à página principal