A Classe Obreira Galega mobiliza-se em defesa do emprego e das prestaçon sociais

11 de Março de 2009

Vários milhares de operários e operárias galegas respondêrom à convocatória sindical de um novo 10 de Março marcado pola grave crise sistémica mundial, que se manifesta de maneira específica na Galiza, a ponto de começar umha nova legislatura com o PP à frente da instituiçom autonómica.

Isso explica a mudança do discurso sindical, que começa a passar da contemporizaçom face ao governo do PSOE e do BNG à reivindicaçom mais aberta diante da maioria absoluta do Partido Popular em Sam Caetano.

Ontem, ao contrário que em anos anteriores, o Dia da Classe Obreira Galega diversificou a mobilizaçom em diferentes comarcas, com a CIG como principal motor da mobilizaçom de classe. Se a maior manifestaçom foi em Vigo, com umhas 2.000 pessoas, em Ferrol várias centenas participárom na da CIG e um milhar na manifestaçom nacional de CCOO, que convocou só essa. O outro grande sindicato com presença na Galiza, a UGT, nom se manifestou.

Além das referidas cidades obreiras, também a Corunha, Ourense, Lugo, Ponte Vedra e a Marinha tivérom mobilizaçons operárias. Alguns dirigentes da CIG defendêrom a necessidade de avançar em direcçom a umha greve geral em resposta às políticas dos governos em relaçom ao crash económico em curso, que está a ser carregado sobre as costas do povo trabalhador sem perspectivas de melhoria da situaçom.

No caso das manifestaçons da CIG, a juventude participou com blocos próprios em Vigo e Ferrol, reivindicando "Auto-organizaçom juvenil para parar a crise". Em Ferrol, como é tradicional, houvo duas homenagens a Amador Rei e a Daniel Niebla, os obreiros mortos a tiro pola polícia franquista em 1972: a institucional, com todos os partidos do pleno municipal ferrolano (PSOE, BNG, IU, PP e IF) e os sindicatos espanhóis (CCOO, UGT), e a do sindicalismo nacional e de classe, organizada pola CIG e com participaçom da filiaçom da esquerda independentista na comarca de Trasancos.

Tanto NÓS-Unidade Popular como BRIGA e AGIR participárom nas convocatórias da CIG numha jornada que deve servir para quentar motores para o previsível incremento das luitas obreiras nos próximos meses. No caso da organizaçom juvenil independentista, além da participaçom da sua militáncia na central sindical, foi elaborado um mural nas proximidades do monumento à Classe Obreira Galega, em Ferrol.

 

Voltar à página principal