Dignidade galega contra fascismo espanhol: jornada de luita pola língua em Compostela

8 de Fevereiro de 2009

Um número indeterminado de detidos e detidas, superior a 8, é neste momento o balanço repressivo da jornada de luita que se vive na capital da Galiza em defesa de o nosso idoma nacional. O fascismo lançou um desafio inédito na nossa história, convocando umha manifestaçom que contou com o apoio do PP, de UPyD e de Falange, entre outras entidades de extrema-direita. A resposta popular galega foi contundente.

Perante a inibiçom de organizaçons como o BNG, fôrom militantes e simpatizantes de entidades independentistas como NÓS-UP, BRIGA, AMI, ISCA e AGIR, além de colectivos culturais e do chamado movimento "ridiculista" que contestárom a presença de um importante contingente de espanhóis, que quigérom marchar polas ruas de Compostela contra o idioma do País. Rosa Díez, Alberto Riera, Corina Porro e outros elementos da extrema-direita espanhola liderárom a iniciativa antigalega, contando com protecçom policial durante o trajecto da manifestaçom.

A esquerda independentista cortou a passagem dos fascistas logo no início, com umha faixa com a legenda "Na Galiza em Galego". A selvagem reacçom policial foi imediata, espancando as pessoas que participárom na acçom e detendo o secretário-geral do nosso partido, Carlos Morais.

Ao longo da manifestaçom, conseguiu-se parar a passagem da mesma em várias ocasions, respondendo a polícia espanhola com bolas de borracha e agressons indiscriminadas. Os ultras fôrom totalmente rodeados de polícias durante todo o percurso e, mesmo assim, defensores do nosso idioma subírom ao palco da praça da Quintá, interrompendo o acto final da manifestaçom.

Numerosas pessoas fôrom sucessivamente detidas por protestarem contra o acto espanholista nas ruas de Compostela. Um número indeterminado continuam detidas na esquadra policial compostelana.

Grupos de pessoas atacárom várias entidades bancárias e um carro policial estacionado na praça da Quinta ficou totalmente destroçado em resposta à repressom policial.

Mobilizaçons convocadas

Para as 17h30 está convocada umha manifestaçom para pedir a liberdade das pessoas detidas. Amanhá às 10 horas haverá umha outra concentraçom em frente dos tribunais de Compostela e às 20h concentraçons em Compostela, Vigo (no Marco) e talvez outras localidades.

Esperamos poder informar das novidades que se forem produzindo nas próximas horas.

 

Voltar à página principal