Forças ocupantes ocidentais protagonizam nova matança de civis no Afeganistám

Tenhem as crianças afegás direito à vida? Som terrorista os que as bombardeiam? Perguntas sem reposta para as 'democracias' ocidentais, a espanhola incluída

6 de Julho de 2008

Os dados actuais falam de 22 pessoas mortas, a maior parte mulheres e crianças sem qualquer envolvimento no conflito bélico que enfrenta forças guerrilheiras afegás com tropas imperialistas que mantenhem a ocupaçom do país. Foi durante um ataque aéreo liderado polo exército ianque, e as vítimas caminhavam juntas no caminho de volta de um casamento.

O assassinato do grupo de civis aconteceu perto de Aska Meena, segundo informaçons de meios ocidentais, e além das 22 mortas já confirmadas, há outras 13 pessoas feridas devido ao fogo aéreo das forças 'pacificadoras' multinacionais. Nom se sabe o número exacto, mas sim que numerosos nenos e nenas estám entre os falecidos e falecidas.

Como sempre, o comando norte-americano afirmou que os ataques iam dirigidos a forças guerrilheiras talibám, as mesmas que a administraçom ianque financiou desde os anos 80 contra o governo laico e progressista de Najibullah, até passar a considerá-las um estorvo para os seus planos de ocupaçom e espólio energético do território afegao.

Ontem mesmo foi difundida da morte de outras 22 pessoas, também civis, vítimas de bombardeamentos aéreos sob comando dos EUA. Desde que começou 2008, fôrom contabilizadas 1.800 pessoas mortas no conflito provocado pola invasom do Afeganistám por parte de tropas ocidentais, incluídas centenas de efectivos militares espanhóis.

 

Voltar à página principal