Quinto acidente laboral mortal no Berzo neste ano

21 de Outubro de 2008

Continua a crescer o número de sinistros mortais por acidentes laborais. Mais umha vez, um trabalhador novo (35 anos), imigrante (de origem polaca), e possivelmente sem especializaçom nem formaçom de nengum tipo. Novamente, na empresa do sector siderometalúrgico COMONOR, sita no Polígono Industrial de Cabanas Raras, no Berzo, e dedicada à construçom de pás eólicas e estruturas metálicas.

O mortal acidente tivo lugar às 17.15 horas do dia de ontem, segunda-feira, numha das dependências dedicadas à montagem de naves industriais e, ainda que nom existam dados oficiais, fontes da empresa e do quadro de pessoal apontam para que o operário polaco, Goze Gurz, foi atropelado por umha máquina empilhadora. Os serviços de emergência do 112 tentárom reanimá-lo ao chegar ao lugar do acidente, mas o operário perdeu a vida.

Este acidente é o quinto que se produz no sector do metal no Berzo neste ano. O anterior tivo lugar no mês de Agosto, quando um operário marroquino de umha subcontrata morreu ao cair do telhado de umhas naves da empresa acereira Roldam, em Santo Tomás das Olas, perto de Ponferrada. Em Julho, um jovem de 22 anos perdeu a vida noutro caso de terrorismo patronal nesta mesma empresa, Comonor. Em Janeiro, umha mulher de 53 anos morria atropelada também por umha empilhadora na empresa dedicada à construçom de pás eólicas L.M., perto de Santo Tomas das Olas. Também em Janeiro falecia um homem de 38 anos ao ser atingido por umha trave de ferro na empresa Transformados Metálicos do Berzo, em Carracedelo.

Apesar da evidência dos dados, nom se conhece que as administraçons tenham previsto tomar nengum tipo de medida real e urgente para pôr freio a esta sangria e reclamar as suas responsabilidades aos directivos das empresas afectadas. Quantos operários mais, quantas operárias mais terám de morrer para que os acidentes laborais sejam tratadas como "umha questom de estado" e nom como umha desgraça irresolúvel?

 

Voltar à página principal