Intoxicaçom mediática aponta para "sectores independentistas" no conflito entre a vizinhança e a Brilat

11 de Dezembro de 2008

Os dous diários de maior tiragem na Galiza, La Voz de Galicia e Faro de Vigo, divulgárom ontem informaçons de origem policial que apontam para "sectores independentistas" como "propiciadores" do conflito que enfrenta a vizinhança de Salzedo, em Ponte Vedra, com o Ministério da Defesa espanhol, que quer aumentar o perímetro das instalaçons da Brilat na zona.

O La Voz de Galicia referiu a posiçom conhecida de NÓS-Unidade Popular contra a presença da Brilat em Figueirido para indicar que a presença de independentistas na manifestaçom da passada segunda-feira "propiciou" a agressom policial, que acabou com umha manifestante no hospital.

Também o Faro de Vigo assinalou o independentismo como fonte da violência policial, acusando quatro pessoas de "altercados verbais com os agentes". Segundo ambos jornais, a Polícia espanhola identificou nove pessoas, quatro delas "independentistas" que vam ser denunciados por "alteraçom da segurança cidadá" por supostamente terem insultado os polícias.

Segundo as mesmas fontes, as cinco pessoas identificadas que nom fôrom relacionadas com posiçons políticas independentistas nom serám denunciadas, numha clara tentativa de dividir o movimento popular que luita polos direitos da vizinhança frente às imposiçons do Ministério espanhola da Defesa.

Reacçons vicinal e independentista

A vizinhança contestou a criminalizaçom mediática e policial afirmando que, efectivamente, alguns manifestantes nom eram vizinhos directamente afectados polas medidas unilaterais do Ministério da Defesa, mas negárom que promovessem a desproporcionada violência policial, afirmando que "nom figérom mais barulho que o resto e actuárom correctamente".

Por sua vez, NÓS-Unidade Popular emitiu um comunicado em que reconhece o seu apoio à luita das vizinhas e dos vizinhos neste conflito, e detecta um claro objectivo intoxicador e criminalizador nas notícias difundidas polo Faro de Vigo e La Voz de Galicia.

Também a organizaçom juvenil BRIGA se solidarizou com a luita vicinal contra a intençom do Ministério da Defesa espanhol de alargar o que chamam "perímetro de segurança".

 

Voltar à página principal