Carlos Cela fica livre após um seqüestro legal de 10 meses

24 de Outubro de 2008

O vizinho do concelho da Corunha Carlos Cela, detido arbitrariamente num operativo construído pola polícia espanhola sem mais base que a sua conhecida actividade de solidariedade com as presas e os presos políticos, fica hoje livre após 10 meses de seqüestro 'legal' por parte do Estado espanhol.

Dispersado e atropelado nos seus direitos pola maquinaria do Estado, Carlos Cela foi vítima de umha montagem policial e mediática que o assinalou como "terrorista" por exercer a solidariedade com o colectivo de presos e presas ligado ao PCE r e aos GRAPO.

Dá-se a circunstáncia de que varios familiares de Carlos sofrem penas de prisom como presos políticos, destacando o labor da mae, Josefa Seoane, como activa defensora da luita pola liberdade.

Umha importante rede de solidariedade, em que tenhem participado diferentes sectores da esquerda corunhesa, mantivo durante os meses de prisom de Carlos umha campanha solidária que agora culmina com a liberdade do vizinho de Monte Alto, cujos únicos "delitos" som a sua activa solidariedade e a reivindicaçom da própria condiçom como comunista.

Manifestamos a nossa satisfaçom pola saída de prisom de Carlos Cela e denunciamos, mais umha vez, a arbitrariedade das agressons legais protagonizadas polo aparelho estatal espanhol contra a sua oposiçom política.

 

Voltar à página principal