Siareir@s Galeg@s organizam debate sobre 'direito a competir, direito a decidir'

5 de Dezembro de 2008

Por iniciativa do colectivo de Siareir@s Galeg@s, a Faculdade de Educaçom Física da Universidade da Corunha, com sede em Oleiros, deu espaço a representantes do desporto galego para debaterem sobre o estado da questom em relaçom a dous temas fundamentais: o reconhecimento da Galiza como naçom no ámbito das competiçons internacionais e a incorporaçom da mulher em pé de igualdade a um ámbito tradicionalmente impregnado de um forte fedor patriarcal.

O debate, que decorreu um dia antes de que as instituiçons comemorem os 30 anos de constituiçom monárquica da "indivisível" Espanha, contou com a presença, junto a representantes do colectivo organizador, dos seleccionadores galegos de futebol masculino, Arsenio Iglesias e Fernando Vasques; a seleccionadora da mesma especialidade na categoria feminina, Pilar Neira; o ex-jogador profissional de futebol José Ramón; a directora geral do Desporto da Junta da Galiza, Marta Souto; e o professor do INEF na UdC Toni Ardá.

Numeroso público assistiu para participar na troca de argumentos sobre a necessidade de avançar no nível de reconhecimento para as nossas selecçons nacionais, bem como para evitar a discriminaçom das especialidades femininas no tratamento institucional e mediático.

A directora geral do Desporto da Junta da Galiza reconheceu um desigual avanço no nível de participaçom galega em competiçons internacionais, referindo o tae kwon do e o futsal feminino como especialidades vanguardistas, por terem já participado em competiçons oficiais internacionais de topo.

Galiza nos próximos Jogos da Lusofonia?

Em resposta à intervençom de Diego Bernal, de Siareir@s Galeg@s, Souto situou como próximo objectivo a participaçom da Galiza nos Jogos da Lusofonia de 2009, o que vem sendo reivindicado polo movimento siareiro desde a primeira ediçom dessa competiçom circunscrita às naçons de fala galego-portuguêsa no mundo, que começou a organizar-se em 2006.

Fernando Vasques e José Ramom fôrom firmes na defesa do direito a contarmos com selecçons nacionais próprias, tal como Pilar Neira, que também sublinhou a necessidade de um reconhecimento específico ao trabalho desportivo que desenvolvem as mulheres em todas as categorias praticadas no nosso país. Referiu-se o caso dos jogos previstos para este mesmo mês por parte das selecçons feminina e masculina de futebol, em que a primeira jogará num estádio diferente e mais pequeno do que a masculina.

É de justiça parabenizar o colectivo de Siareir@s Galeg@s por esta nova iniciativa em defesa do nosso direito a existir, a decidir e a competir.

 

Voltar à página principal