Luita galega difundida no Equador

20 de Dezembro de 2008

Convidado polo Movimento Popular Democrático (MPD) equatoriano, o secretário-geral de Primeira Linha, Carlos Morais, tivo ocasiom, na segunda semana de Dezembro, de dar a conhecer entre a esquerda revolucionária equatoriana a luita de libertaçom nacional e social de género que desenvolve na Galiza a corrente da esquerda independentista em que o nosso partido se insere, bem como a do movimento popular no seu conjunto.

A apertada agenda com diversos sectores populares possibilitou difundir a luita galega e, simultaneamente, conhecer o processo de mudanças que se desenvolve no Equador.

Após visitar a Assembleia Nacional, em Quito, assistindo a um debate parlamentar, reuniu-se com Abel Ávila e Jorge Escala, deputados da Unidade Popular-Movimento Popular Democrático, que informárom da situaçom política e social do país andino e do rol que cumpre a luita institucional no processo revolucionário equatoriano.

Posteriormente, foi recebido na sede central do MPD por umha delegaçom da sua direcçom, conformada por Luís Villacís, Geovanni Atarihuana e Stalin Vargas, os quais, após avaliarem positivamente a histórica vitória do sim no referendo constitucional convocado em Setembro, abordárom o processo de transiçom que se desenvolve no Equador e os objectivos que perseguem como principal força revolucionária equatoriana. No jantar, realizado no local do MPD, conversárom sobre os objectivos e expectativas abertas para as forças revolucionárias de orientaçom socialista e acompanhárom com grande interesse o diagnóstico da realidade da Naçom Galega e as razons polas quais o comunismo galego promove a luita independentista.

Carlos Morais também visitou a redacçom do semanário de esquerda Opción onde o seu director Ramiro Vinueza, acompanhado de vários membros do conselho de redacçom, dérom a conhecer este projecto comunicativo revolucionário e a sua influência na articulaçom e difusom das luitas populares.

O nosso secretário-geral assistiu à homenagem ao grande poeta comunista equatoriano, militante do PCMLE, Rafael Larrea Insuasti, organizada pola Uniom de Artistas Populares do Equador na noite da quinta-feira 11 de Dezembro.

Finalmente, na sexta-feira, antes de partir para a Venezuela, Carlos Morais participou na grande mobilizaçom de mestres realizada pola UNE e apoiada polo MPD.

Tal como manifestou a este portal, “é fundamental que a esquerda independentista e socialista da Galiza difunda entre as forças revolucionárias do conjunto do planeta, com destaque para as latino-americanas e caribenhas, a nossa luita contra o projecto imperialista espanhol, pois compartilhamos um inimigo comum. A Galiza tem que ganhar alianças, promover a nossa luita e conhecer outras realidades e projectos, dos quais tanto temos que aprender”.

 

Voltar à página principal