FARC-EP esclarecem circunstáncias da fuga de Betancourt

12 de Julho de 2008

Após umha semana de especulaçons sobre o abandono da selva colombiana por parte de 15 pessoas retidas pola guerrilha marxista desse país, o Secretariado do Estado Maior Central das FARC-EP emitiu um comunicado que esclarece o acontecido. Reproduzimos a seguir a traduçom integral em galego do documento.

Comunicado do Secretariado do Estado Maior Central das FARC-EP perante a fuga dos 15 prisioneiros de guerra

1. A fuga dos 15 prisioneiros de guerra, na passada quarta-feira 2 de Julho, foi conseqüência directa da desprezível conduta de César e Enrique, que atraiçoárom o seu compromisso revolucionário e a confiança que neles foi depositada.

2. Independentemente de um episódio como o sucedido, inerente a qualquer confronto político e militar onde se apresentam vitórias e reveses, mantemos vigente a nossa política por concretizar acordos humanitários que logrem o intercámbio e também protejam a populaçom civil dos efeitos do conflito. De persistir no resgate como única via, o governo deve assumir todas as conseqüências da sua temerária e aventureira decisom.

3. A luita por libertar os nossos e demais combatentes políticos presos sempre estará na ordem do dia no conjunto das unidades farianas, especialmente na sua direcçom. Todos eles estám na nossa mente e no coraçom.

4. O caminho por atingir as transformaçons revolucionárias, em nengumha parte do mundo nem em nengum momento da história tem sido fácil, ao contrário, e por isto o nosso compromisso aumenta perante cada novo repto ou dificuldade.

5. A paz que requer a Colômbia deve ser resultado de acordos que beneficiem as maiorias, nom vai a ser a paz dos sepulcros sustentada sobre a corrupçom, o terror do Estado, a felonia e a traiçom. As causas polas quais luitam as FARC-EP seguem vivas, o presente é de luita e o futuro é nosso.

Secretariado do Estado Maior Central das FARC-EP

Montanhas da Colômbia, 5 de Julho de 2008

 

 

Voltar à página principal