Junta oferece mao de obra jovem, barata, trabalhadora e mansinha

26 de Junho de 2008

O governo bipartido continua a dar mostras da sua 'sensibilidade social'. Desta vez foi a Conselharia da Economia, em maos do PSOE, que, num site oficial disponiblizado polo IGAPE e dedicado à procura de investimentos estrangeiros na Galiza, oferece umha classe trabalhadora jovem, trabalhadora, barata e nom conflituosa.

O web tem um receptor claro: o grande capital empresarial; e umha mensagem mais clara ainda: “a Comunidade Autónoma [da Galiza] estará entre as regions com um menor custo laboral, aproximadamente 86% da média nacional” (refere-se à média estatal espanhola) .

Eis o compromisso deste governo 'alternativo', 'progressista' e 'galeguista' empenhado em copiar as políticas da direita espanhola representada polo PP durante tantos anos: Como com Fraga, a actual Junta vende o seu povo trabalhador ao capital estrangeiro louvando os baixos custos, o grande rendimento decorrente para as empresas e a suposta baixa conflituosidade da nossa juventude trabalhadora.

Umha política, a do PSOE e do BNG, bem adaptada aos novos ventos de selvagem neoliberalismo promovido pola UE: 65 horas semanais, campos de concentraçom para imigrantes, imposiçom de tratados à margem das consultas populares, etc. Só esperamos que este povo trabalhador deixe claro o antes possível às vendidas forças governantes que a Galiza trabalhadora nom se vende em regime de semi-escravatura ao grande capital europeu, espanhol nem galego.

 

Voltar à página principal