Estado terrorista de Israel assassina 200 pessoas com fogo aéreo na Faixa de Gaza

27 de Dezembro de 2008

Nom menos de 225 palestinianos e palestinianas terám morrido hoje num ataque aéreo do Exército israelita contra a Faixa de Gaza, deixando ainda mais de 700 de pessoas feridas. Polos vistos, militares sionistas lançárom um ataque com 40 mísseis disparados a partir de bombardeiros F-16, de fabrico ianque, atingindo alvos palestinianos que Israel relaciona com Hamas, incluídos quartéis da polícia palestiniana.

O governo sionista justificou o massacre afirmando que se tratou de ataques contra "infra-estruturas terroristas", acrescentando que
"Tínhamos avisado a populaçom civil da Faixa de Gaza [da iminência] dos nossos ataques e Hamas, que se esconde entre esta populaçom, é o único responsável por esta situaçom". O comando militar israelita garantiu que "as nossas operaçons vam continuar e até expandir-se, se tal for necessário", do qual nom temos nengumha dúvida dada a impunidade com que venhem operando os comandos terroristas israelitas, graças à cumplicidade europeia e norte-americana.

Também o corrupto primeiro-ministro israelita, Ehud Olmert, tinha avançado na quinta-feira um ataque destas características sob capa da habitual cantiga do "combate ao terrorismo". O resultado é hoje visível: 200 pessoas mortas, que serám muitas mais quando se levante o entulho amontoado dos prédios destruídos.


Voltar à página principal