Capitalismo mundial continua a dar cobertura aos nazis sionistas: povo palestiniano resiste com coragem

6 de Janeiro de 2008

As vítimas mortais continuam a aumentar de dia para dia, tendo-se triplicado desde o início da contagem, e ficando acima das 600. As feridas e os feridos contam-se aos milhares, e os civis e as civis som as principais atingidas pola operaçom de extermínio sionista contra o gueto de Gaza. Famílias inteiras aniquiladas, escolas destruídas com dúzias de civis dentro, hospitais bombardeados e médicos assassinados.

Qual a resposta da chamada 'comunicade internacional'? Apelos à "responsabilidade" e a mesura dirigidos... a Hamas!, polo lançamento de projécteis caseiros de escassa potência como medida desesperada frente a umha das mais perfeitas maquinarias bélicas do mundo.

Como quase sempre, o povo palestiniano depende das suas próprias forças, da sua heróica capacidade de resistência, das suas milícias precariamente armadas, mas carregadas de patriotismo e entrega em defesa de um povo que se nega a se expulso das suas terras.

Os George W. Bush, os Sarkozy, os Zapatero e os Barak Obama, os Mubarak... o capitalismo mundial e os seus representantes políticos continuam a dar cobertura a Ehud Olmert e ao seu Estado terrorista, enquanto os povos do mundo olhamos horrorizados o novo holocausto aplicado polos novos nazis, os sionistas, contra todo um povo, o da mil vezes heróica Palestina.

A Venezuela Bolivariana como digna excepçom

Existe ao dito umha digna excepçom, riscada por isso de ditadura comunista polas bem-pensantes "democracias": a Venezuela Bolivariana, que expulsou o embaixador sionista de Caracas e condenou abertamente o genocídio aplicado contra o povo palestiniano.

Tendo em conta a identidade semítica do povo palestiniano, podemos afirmar sem dúvida que o Estado de Israel é hoje o principal agente mundial do anti-semitismo.

Frente ao colonialismo, frente ao racismo, frente ao imperialismo capitalista, devemos continuar a mobilizar-nos, em defesa do povo palestiniano, máximo representante da dignidade de todos os povos do mundo neste trágico momento histórico.

 

Voltar à página principal