Nacionalismo 'verde': BNG reclama que a roupa da Guarda Civil se faga na Galiza

28 de Outubro de 2008

Se alguém duvidava do compromisso do BNG com o País, o senador dessa organizaçom demonstrou em Madrid a orientaçom do seu "nacionalismo inteligente": José Manuel Peres Bouça protestou perante o Ministério do Interior porque as fardas da organizaçom armada Guarda Civil som feitos na China, e nom na Galiza como dantes.

Daí que o BNG, preocupado com o desenvolvimento "endógeno" da Galiza, pedisse que o governo espanhol apoie o sector têxtil galego atribuindo-lhe a realizaçom dos uniformes dos guardas civis, força militar historicamente ligada ao extermínio da esquerda social e nacional galega.

Nom é a primeira vez nos últimos anos que os ex-nacionalistas galegos apresentam iniciativas relacionadas com a inserçom da Guarda Civil no nosso país. Já tenhem reclamado novos quartéis, mais presença numérica e, isso sim, "que se galeguize".

O BNG acha nesta ocasiom que na China as fardas da Guarda Civil som feitas com "menor qualidade", embora tenham um preço mais baixo, por isso reclama o "volume de negócio" que supom essa actividade para a Galiza, que considera "de importáncia fundamental" num momento de crise económica como o actual.

Pouco mais resta para comentar, a nom ser que alguns passárom de levar paus da Guarda Civil a reclamar que lhes deixem coser-lhes os uniformes. Mais um exemplo da "responsabilidade política" do neo-autonomismo.

 

Voltar à página principal