Desemprego aumentou 33,65% na Galiza autonómica em 2008

24 de Janeiro de 2009

Nom som dados da esquerda independentista, mas das estatísticas oficiais: durante 2008, 32.500 novas galegas e galegos fôrom incorporadas à força às listas do desemprego, o que representa 33,65% de incremento em relaçom ao ano anterior.

Como sempre, devemos sublinhar que há mais de 180.000 galegos e galegas excluídas desses cálculos: aquelas e aqueles que vivem para lá da margem leste da fronteira estabelecida polo aparelho estatal espanhol em 1980, quando a Espanha autonómica repartiu o seu "café para todos".

Ficando portanto nas quatro províncias, a Comunidade Autónoma da Galiza foi umha das que menos aumento registou no conjunto do Estado espanhol, o que nom impediu que fosse um aumento elevado ou, se preferirmos, mais do que considerável.

Estima-se em 34.500 os lares em que todos os membros estám desempregados (4,69% do total de 1.007.500 unidade familiares contabilizadas na CAG). Quanto ao reparto por sexos, as mulheres desempregadas som 65.700 e os homens, 63.300, o que situa a percentagem feminina em 10,91% e a masculina em 9,74%.

A Galiza ocupa, contodo, o quinto lugar entre as comunidades com menor índice de desemprego no conjunto do Estado espanhol, embora a crise esteja ainda longe do seu fim, o que converte estes dados numha instantánea de um processo em andamento.

 

Voltar à página principal