[Vídeo] Livres as 10 pessoas detidas durante a jornada de luita pola língua

Concentraçom solidária em Compostela

10 de Fevereiro de 2009

Ao longo da jornada de hoje fôrom ficando em liberdade sem fiança com cargos os nove companheiros e a companheira que a polícia espanhola mantivo nos calabouços durante o dia de ontem e até hoje à manhá.

De manhá, ficárom livres seis, em grupos de três, sendo recebidos às portas dos tribunais das Fontinhas, em Compostela, por mais de meia centena de pessoas, que aplaudírom o compromisso de todos eles e ela.

A concentraçom solidária mantivo-se também toda a tarde, já que os quatro restantes detidos só ficárom livres passadas as 20 horas. Repetírom-se os aplausos e gritos em defesa do idioma e do direito a defendê-lo sem criminalizaçons.

Maus tratos e acusaçons insustentáveis

Dous dos detidos, Santi Mendes e Carlos Morais, denunciárom maus tratos da polícia espanhola no momento da detençom e posteriormente. No caso do secretário-geral do nosso partido e dirigente de NÓS-Unidade Popular, o assanhamento policial foi especial, apresentando lesons de importáncia que obrigárom os seus captores a levá-lo ao Hospital Clínica de Compostela.

Imagem da saída dos quatro últimos detidos

De facto, o nosso camarada explicou que durante o trajecto do lugar da detençom até a esquadra policial foi repetidamente espancado por elementos da polícia no interior da carrinha, fazendo-lhe bater repetidamente a cabeça contra o chao da mesma e dando-lhe numerosos pontapés que lhe provocárom hematomas no corpo.

Conduzido ao hospital, o parte médico indica Carlos Morais que sofreu, literalmente, "traumatismo cránio-encefálico por agressom". Apesar de que esse diagnóstico obriga a umha observaçom continuada da pessoa durante 24 horas, o detido careceu de qualquer atençom durante o tempo de detençom, a nom ser os calmantes para lhe reduzir as fortes dores.

As pessoas detidas ficárom todas elas com cargos diversos, desde as desordens públicas até o suposto impedimento do exercício do direito de manifestaçom e inclusive atentado contra a autoridade.

Resposta antirrepressiva

Além da concentraçom durante mais de 12 horas às portas dos tribunais, umha concentraçom de mais de 250 pessoas tivo lugar na praça do Toural de Compostela. Ali, fôrom coreadas palavras de ordem contra o bilingüismo, em defesa da língua e pola independência da Galiza.

Também em Vigo e na Corunha se registárom mobilizaçons solidárias na tardinha de hoje. Na cidade do sul mais de 100 pessoas manifestárom-se polo centro, enquanto na Corunha meia centena concentrou-se no Obelisco em solidariedade com as pessoas detidas.

Reproduzimos a seguir o breve vídeo com que a TVG noticiou a liberdade dos últimos detidos na tarde de hoje.

Voltar à página principal