[Vídeo] Burguesia e imperialismo tentam derrubar governo da esquerda na Bolívia

Imagem dos corpos de camponeses assassinados no Departamento de Pando por grupos de extrema-direita anti-governamentais

15 de Setembro de 2008

A oligarquia boliviana, abertamente fascista, mantém o controlo da zona oriental do país, a mais rica em recursos naturais, e continua a promover a violência dos bandos ultras, tentarndo sabotar a política do governo nacional, que contou com quase 70% de apoios no recente referendo revogatório.

Os chamados departamentos da Meia Lua (Santa Cruz, Tarija, Beni e Pando) causárom nos últimos dias matanças de índios, de dirigentes sindicais e do movimento popular nessas regions, sem que o governo presidido por Evo Morales consiga neutralizar as actividades promovidas pola oligarquia boliviana. O objectivo final das actuaçons violentas e conspirativas na Meia Lua é clara: a derrocada do governo índio e anti-imperialista do MAS.

A escusa da "autonomia" é utilizada no caso boliviano para tentar destruir a base de apoio do governo e acabar assim com as reformas democráticas e de justiça social que vem promovendo. O movimento "autonomista", teledirigido polo imperialismo ianque, tem como fim último garantir o acesso ianque aos recursos energéticos bolivanos, liquidando para isso o processo revolucionário que a Bolívia protagoniza desde já antes da vitória do MAS, através de umha importante mobilizaçom do povo trabalhador pobre e indígena, que nos últimos anos conseguiu derrubar vários governos pró-imperialistas.

Entretanto, Evo Morales continua a promover um "diálogo" com os oligarcas, que nom dam ouvidos aos apelos conciliatórios do presidente. O vice-presidente, Garcia Linera, e o prefeito de Tarija, Mario Cossío, em representaçom dos movimentos racistas e os departamentos em maos da oligarquia, mantenhem reunions para chegar a um acordo que ponha fim às sabotagens e acçons violentas da extrema-direita "autonomista".

Enquanto sectores da esquerda revolucionária como a COB reclamam acçons de massas para derrotar a direita oligárquica, o governo expulsou o embaixador ianque do país, depois de comprovar que se encontrava detrás dos planos desestabilizadores da burguesia pró-imperialista boliviana.

Com umha situaçom de máximo confronto entre classes, a evoluçom do processo revolucionário está em perigo, apesar de contar com um apoio nas urnas de quase 70% da populaçom de todo o país.

No seguinte vídeo, de quase 8 minutos, podemos ver como actua a oposiçom contrarrevolucionária boliviana, agredindo verbal e fisicamente indígenas, sindicalistas e representantes da maioria socialista que governa a Bolívia.

 

- Vídeo da Televisom Pública Venezuelana, reproduzido polo site Aporrea, para entender o que acontece na Bolívia (17 minutos). (+...)

 

Voltar à página principal