NÓS-Unidade Popular denuncia "absoluta falta de medidas concretas e efectivas para o avanço nos usos sociais do galego"

9 de Agosto de 2008

A escassos meses de que finalize a legislatura autonómica da suposta 'mudança', NÓS-Unidade Popular denunciou através de um comunicado de imprensa a política lingüística do governo bipartido, limitada a "campanhas publicitárias com umha carga tam sentimental como cansativa e vácua".

O comunicado coincide com a apresentaçom de umha nova campanha supostamente 'normalizadora' apresentada pola secretária geral de Política Lingüística, Marisol López. Trata-se, mais umha vez, de umha exposiçom teórica sobre o multilingüismo; umha iniciativa que, para a organizaçom independentista e socialista, seria "mais própria de umha Conselharia da Cultura ou da Educaçom" mas, em lugar disso, serve para que se gaste o dinheiro de umha área de governo tam importante em "fogos de artifício", em palavras de NÓS-UP.

A tal exposiçom percorrerá seis países e incluirá materiais em mais de 30 idiomas, além de estar patente nas principais cidades da Galiza. Para NÓS-Unidade Popular, "melhor faria, portanto, a Junta da Galiza e os dous partidos que a sustentam se se dirigisse aos bancos e caixas de poupança para exigir o respeito aos nossos direitos; se assegurasse algum avanço na presença do galego no ensino, a poucas semanas do início de um novo ano lectivo; se desse passos para garantir a exibiçom de filmes em galego nas salas de cinema do nosso país; se fomentasse com medidas concretas o uso do galego na vida comercial das nossas cidades e vilas; se exigisse o uso maioritário do galego nos meios de comunicaçom para a concessom de qualquer ajuda pública; se tomasse medidas para a presença do galego nos tribunais de justiça."

Pode-se ler na íntegra o comunicado de NÓS-UP aqui.

Voltar à página principal